Flamengo: Há 13 anos Adriano Imperador reestreava no mengão

0

Após quase 8 anos no futebol europeu, Adriano Imperador retornava ao Flamengo, com direito a gol e vitória.

Adriano comemorando o gol com seus companheiros de equipe.

Adriano saiu do mengão com apenas 19 anos de idade, ainda era muito contestado no seu início de carreira. Em sua volta ao Flamengo, agora mais experiente e muito bem evoluído na carreira, chegou com status de estrela e com tudo para ser ídolo no Fla. Logo na sua reestreia no Maracanã lotado com mais de 70 mil pessoas, Imperador balançou as redes e foi ovacionado pela torcida.

– Não tem dinheiro que pague isso. Estou alegre. Quando a cabeça está boa, nada mais importa – afirmou Adriano após a vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-PR.

Ídolo da Internazionale, Adriano batalhava a meses contra a depressão que o perseguia ainda atuando no futebol italiano. Mesmo estando fora da forma física ideal para um atleta profissional, Imperador se mostrava imparável e êximio centroavante.

Com menos de um minuto da segunda etapa, Adriano balançou as redes do furacão, e na comemoração a torcida foi ao delírio, com os gritos: Ô, o Imperador voltou“.

O Maraca miscigenado foi uma só voz para exaltar o seu nobre ‘favelado’. Com os cantos de “Eu só quero é ser feliz, andar tranquilamente na favela onde eu nasci”, dos MCs Cidinho e Doca, e “Festa na Favela” o coração do rubro-negro Adriano ficou marcado. Cria da Vila Cruzeiro, e de sua família, representada no estádio por vovó Vanda, mamãe Rosilda, e os filhos Adrianinho e Sofia.

Mesmo estando fora de forma, desde o início do jogo Adriano levou caos a defesa do furacão. Muito participativo durante o jogo, dando combate, carrinhos e buscando incessantemente o gol.

O volante Toró, de 36 anos, lembra do impacto que Adriano causou com o retorno à Gávea. Ele afirma que, com o amigo Léo Moura em alta, o gol sairia mais cedo ou tarde. É toró quem inicia a jogada que passou pelos pés de Sheik e Léo Moura antes de encontrar a cabeça do imperador.

Adriano com a camisa do mengão.

O fim do jejum do Flamengo

O time rubro-negro que na época já era pentacampeão do campeonato brasileiro, estava há 17 anos sem conquistá-lo. Com a chegada do atacante, o mengão foi para “oto patamá”, como diria Bruno Henrique.

Saiu muito contestado em 2001, mas mostrando que havia qualidade para evoluir. Voltou quase oito anos depois, foi extremamente importante. Foi o artilheiro do campeonato Brasileiro de 2009 e ajudou o time do Flamengo a voltar a ser campeão Brasileiro, consagrando-se um dos maiores ídolos da história do rubro-negro.

Adriano e Petkovic comemorando o hexacampeonato brasileiro do rubro-negro.

Permaneceu no Fla até maio de 2010, encerrando sua segunda passagem pelo clube com 48 jogos e 34 gols marcados. Por muitos anos criou-se a expectatvia de que poderia retornar novamente ao Fla, porém Adriano não conseguiu ter mais forças e condições psicológicas para voltar ao Futebol e acabou encerrando sua carreira recentemente.

Atuou pelo Corinthians onde foi campeão brasileiro também, porém realizando poucas partidas.

Adriano Leite Ribeiro. Ídolo da Internazionale de Milão, ídolo do Flamengo e de milhões de brasileiros e torcedores mundo a fora. Preferiu ter sua vida longe do luxo e das riquezas para esbanjar a felicidade que mais importa e que mais satisfatória é: a paz interior.

Por mais que pensa-se tanto que, poderia ter continuado no futebol, que poderia ter rendido mais e evoluído mais sua carreira, ninguém poderá apagar e esquecer o que o craque brasileiro já fez por sua seleção e por um dos maiores clubes do mundo e por um dos maiores do Brasil também.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.